No Dia dos Professores, especialista do Hospital Paulista faz alerta para cuidados com a saúde da voz

A voz é uma característica única de cada pessoa e um meio essencial de se comunicar com o próximo. No Dia do Professor, celebrado em 15 de outubro, o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia faz uma alerta para os cuidados com a saúde vocal nesta profissão.

De acordo com o otorrinolaringologista Dr. Alexandre Enoki, é comum que professores e demais profissionais que fazem uso intenso da voz desenvolvam rouquid​​ões frequentes, atreladas a diversas alterações da laringe.

Dentre os principais problemas estão as lesões fonotraumáticas que podem surgir após uso intenso da voz. Os mais comuns são os pólipos e os nódulos vocais (conhecidos popularmente como calos nas cordas vocais).

O médico destaca que alterações como rouquidão, dores de garganta ao falar e fadigas vocais persistentes por mais de duas semanas necessitam de uma visita ao otorrinolaringologista, para um diagnóstico e tratamento corretos.

“Estar atento a possíveis casos de alergia e refluxo gastroesofágico também são cuidados que contribuem para a saúde da voz, independentemente do tipo de atividade que a pessoa exerça”, ressalta.

Conforme o otorrinolaringologista, as pessoas devem evitar o ar-condicionado, o consumo excessivo de álcool e o tabagismo, além de gritar durante o dia a dia. O médico também sugere cautela para falar em ambientes ruidosos que possam causar uma “competição sonora”. “Nesses casos, sempre que possível, o uso de um microfone pode ajudar.”

“O uso da máscara também pode contribuir para que os professores forcem um pouco mais para falar e lecionar em um volume que a voz seja melhor compreendida”, explica. No entanto, Dr. Enoki ressalta que a peça é indispensável para evitar o contágio da Covid-19 e não deve ser deixada de lado de jeito nenhum.

“Opte também por uma boa hidratação constante, com água”, reitera o especialista.

 

Tratamentos

Dr. Enoki destaca que, para todas as pessoas, os distúrbios vocais não devem ser menosprezados, pois podem piorar com o passar do tempo.

“Conforme um sintoma se torna frequente, é necessário buscar um otorrinolaringologista.”

 

O tratamento dos problemas vocais pode envolver uso de medicações, fonoterapias ou até mesmo cirurgia das cordas vocais, em alguns casos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar?
Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *