Posts

No Dia dos Professores, especialista do Hospital Paulista faz alerta para cuidados com a saúde da voz

A voz é uma característica única de cada pessoa e um meio essencial de se comunicar com o próximo. No Dia do Professor, celebrado em 15 de outubro, o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia faz uma alerta para os cuidados com a saúde vocal nesta profissão.

De acordo com o otorrinolaringologista Dr. Alexandre Enoki, é comum que professores e demais profissionais que fazem uso intenso da voz desenvolvam rouquid​​ões frequentes, atreladas a diversas alterações da laringe.

Dentre os principais problemas estão as lesões fonotraumáticas que podem surgir após uso intenso da voz. Os mais comuns são os pólipos e os nódulos vocais (conhecidos popularmente como calos nas cordas vocais).

O médico destaca que alterações como rouquidão, dores de garganta ao falar e fadigas vocais persistentes por mais de duas semanas necessitam de uma visita ao otorrinolaringologista, para um diagnóstico e tratamento corretos.

“Estar atento a possíveis casos de alergia e refluxo gastroesofágico também são cuidados que contribuem para a saúde da voz, independentemente do tipo de atividade que a pessoa exerça”, ressalta.

Conforme o otorrinolaringologista, as pessoas devem evitar o ar-condicionado, o consumo excessivo de álcool e o tabagismo, além de gritar durante o dia a dia. O médico também sugere cautela para falar em ambientes ruidosos que possam causar uma “competição sonora”. “Nesses casos, sempre que possível, o uso de um microfone pode ajudar.”

“O uso da máscara também pode contribuir para que os professores forcem um pouco mais para falar e lecionar em um volume que a voz seja melhor compreendida”, explica. No entanto, Dr. Enoki ressalta que a peça é indispensável para evitar o contágio da Covid-19 e não deve ser deixada de lado de jeito nenhum.

“Opte também por uma boa hidratação constante, com água”, reitera o especialista.

 

Tratamentos

Dr. Enoki destaca que, para todas as pessoas, os distúrbios vocais não devem ser menosprezados, pois podem piorar com o passar do tempo.

“Conforme um sintoma se torna frequente, é necessário buscar um otorrinolaringologista.”

 

O tratamento dos problemas vocais pode envolver uso de medicações, fonoterapias ou até mesmo cirurgia das cordas vocais, em alguns casos.

Especialista alerta para cuidados específicos a profissionais da voz

No Dia Mundial da Voz, lembrado em 16 de abril, o Hospital Paulista chama a atenção para os principais desgastes e problemas que acometem profissionais que dependem da voz para exercerem suas atividades diariamente, como professores, cantores e atendentes de telemarketing.

De acordo com Domingos Hiroshi Tsuji, otorrinolaringologista e responsável pelo Voice Center do Hospital Paulista, determinadas profissões exigem naturalmente maior atenção e acompanhamento no que diz respeito ao uso da voz.

“Estes profissionais devem se atentar a cuidados específicos que devem ser feitos antes, depois e nos intervalos de suas atividades profissionais. Além disso, é essencial o acompanhamento com médico especializado para que seja possível identificar sinais de desgaste ou de uso desregrado e incorreto da voz”, explica o médico.

Veja a seguir categorias profissionais que requerem maior atenção quando o assunto é o uso da voz:

 

Cantores

A pandemia de Covid-19 e o isolamento social limitaram bastante as atividades de cantores em todo o país. Muitos conseguiram se adaptar e passaram a realizar eventos online, em um ambiente que exige menos da voz, já que não há a presença de um público expressivo. Ainda assim, o canto sem orientação ou acompanhamento adequado pode levar ao desgaste vocal ao longo dos anos de atuação dos cantores.

O acompanhamento aos cantores inclui uma avaliação endoscópica, muito diferente em relação a outros pacientes. “Com o cantor, além de verificarmos a presença de eventuais doenças e lesões, analisamos também como as estruturas anatômicas funcionam e se comportam durante a fala e o canto”, destaca o Dr. Domingos.

Essa avaliação para cantores inclui exames como videonasofibroscopia endonasal, videonasofibroscopia para avaliação da função velofaríngea, videonasofibroscopia faringolaríngea, videonasofibroscopia para avaliação dinâmica da fala e canto e videoestroboscopia da laringe.

“Os exames são realizados de forma rápida e a maioria dos pacientes não sente desconforto intenso ou outras sensações desagradáveis. Não há necessidade de ficar com medo de realizar o exame.

 

Professores

A sala de aula traz uma série de desafios aos professores no dia a dia, mas o uso da voz de forma prolongada na jornada de trabalho faz com que muitos profissionais relatem desconforto ao final do dia. A variação frequente no volume da voz, em razão de barulhos dentro e fora da sala de aula, também provoca um incômodo que, ao longo da carreira, pode comprometer a voz dos professores.

“Nestes cenários, o professor deve beber água com frequência, principalmente durante as aulas, para evitar que a garganta fique seca. Recomendamos o uso moderado do volume de voz, mas sabemos que isso é quase impossível em meio aos desafios impostos a professores que precisam cuidar de 30 a 40 alunos por sala. Assim, aos primeiros sintomas, recomendamos um acompanhamento médico adequado para que seja possível identificar e tratar possíveis lesões”, afirma o Dr. Domingos.

 

Atendentes de telemarketing

Os atendentes que trabalham essencialmente com telefone devem se habituar também ao consumo frequente de água durante o trabalho. No caso deste profissional, o uso quase ininterrupto da voz pode provocar rouquidão, incômodo e dor na região da garganta.

“O ideal seria promover pequenos intervalos durante a jornada de trabalho para que o profissional possa ‘descansar’ o sistema vocal”, completa o médico, ressaltando que o hábito de fumar também pode agravar a situação.

 

Campanha

Na semana do Dia Mundial da Voz, o Hospital Paulista promove uma campanha para conscientizar a população sobre a importância do tema. A iniciativa, que contempla adesivação de fachada e ações nas mídias sociais, busca alertar a todos sobre os sinais e sintomas que requerem o diagnóstico precoce de doenças ligadas às cordas vocais.

Durante a campanha, o Hospital Paulista promoverá uma ação em mídias sociais com as #diamundialdavoz e #voicecenterHP. O mega painel na fachada do Hospital será usado como cenário para realização de selfies dos diferentes públicos, sempre orientados sobre a necessidade de uso de máscaras para participação desta ação.

Além disso, neste mês, o Hospital Paulista estreia seu projeto OtorrinoTalk por meio de podcasts mais vídeos nas diversas plataformas digitais, além de nova campanha em rádio com boletins diários sobre dicas de saúde em Otorrino.