Posts

No Dia dos Professores, especialista do Hospital Paulista faz alerta para cuidados com a saúde da voz

A voz é uma característica única de cada pessoa e um meio essencial de se comunicar com o próximo. No Dia do Professor, celebrado em 15 de outubro, o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia faz uma alerta para os cuidados com a saúde vocal nesta profissão.

De acordo com o otorrinolaringologista Dr. Alexandre Enoki, é comum que professores e demais profissionais que fazem uso intenso da voz desenvolvam rouquid​​ões frequentes, atreladas a diversas alterações da laringe.

Dentre os principais problemas estão as lesões fonotraumáticas que podem surgir após uso intenso da voz. Os mais comuns são os pólipos e os nódulos vocais (conhecidos popularmente como calos nas cordas vocais).

O médico destaca que alterações como rouquidão, dores de garganta ao falar e fadigas vocais persistentes por mais de duas semanas necessitam de uma visita ao otorrinolaringologista, para um diagnóstico e tratamento corretos.

“Estar atento a possíveis casos de alergia e refluxo gastroesofágico também são cuidados que contribuem para a saúde da voz, independentemente do tipo de atividade que a pessoa exerça”, ressalta.

Conforme o otorrinolaringologista, as pessoas devem evitar o ar-condicionado, o consumo excessivo de álcool e o tabagismo, além de gritar durante o dia a dia. O médico também sugere cautela para falar em ambientes ruidosos que possam causar uma “competição sonora”. “Nesses casos, sempre que possível, o uso de um microfone pode ajudar.”

“O uso da máscara também pode contribuir para que os professores forcem um pouco mais para falar e lecionar em um volume que a voz seja melhor compreendida”, explica. No entanto, Dr. Enoki ressalta que a peça é indispensável para evitar o contágio da Covid-19 e não deve ser deixada de lado de jeito nenhum.

“Opte também por uma boa hidratação constante, com água”, reitera o especialista.

 

Tratamentos

Dr. Enoki destaca que, para todas as pessoas, os distúrbios vocais não devem ser menosprezados, pois podem piorar com o passar do tempo.

“Conforme um sintoma se torna frequente, é necessário buscar um otorrinolaringologista.”

 

O tratamento dos problemas vocais pode envolver uso de medicações, fonoterapias ou até mesmo cirurgia das cordas vocais, em alguns casos.

Hospital Paulista amplia serviço especializado em diagnóstico e tratamento de distúrbios da voz

Considerado há 27 anos um centro de excelência em Endoscopia Otorrinolaringológica, o Voice Center do Hospital Paulista, que já realizava exames para diagnósticos de distúrbios da voz, deglutição e refluxo faringo-laríngeo, foi ampliado para oferecer também tratamentos específicos de laringe, com uma abordagem completa do início ao fim e uma equipe altamente especializada.

Com a expansão dos serviços, conforme o otorrinolaringologista Dr. Domingos Hiroshi Tsuji, responsável pelo “Centro Especializado em Laringe e Voz”, o novo Voice Center passa a realizar procedimentos cirúrgicos delicados que incluem, entre outros, microcirurgias de laringe convencional ou com laser, tireoplastias e injeções para disfonia espasmódica.

O especialista destaca que os cuidados altamente especializados estão associados a duas grandes dificuldades: estabelecer o diagnóstico correto da doença, pois, apesar do progresso dos equipamentos endoscópicos atuais, a conclusão ainda depende exclusivamente da interpretação do médico que analisa as imagens vídeo-endoscópicas; e às cirurgias, que, na grande maioria das vezes, são realizadas através do laringoscópio de suspensão e microscópio cirúrgico, por meio de uma técnica conhecida como microcirurgia de laringe, que chega a lesões entre 1 e 2 mm.

“Essenciais para o diagnóstico e tratamento adequados, as dificuldades apontadas requerem um grande treinamento que, muitas vezes, apenas o médico especialista em voz e laringe detém. A falha na definição inicial do diagnóstico correto pode levar a meses ou anos de tratamentos desnecessários, custosos e sem quaisquer resultados efetivos”, explica.

Além disso, segundo ele, ainda existe o fato de o cirurgião ser obrigado a utilizar instrumentos com 20 cm de comprimento e ficar com os braços praticamente estendidos durante todo o procedimento.

“Esse tipo de cirurgia é extremamente delicado e, às vezes, muito complexo, exigindo grandes habilidades que só um especialista completo costuma ter.”

 

A importância do diagnóstico prévio

O Brasil é um dos principais países em casos de câncer de laringe. De acordo com o Dr. Domingos, apenas em 2021, estima-se mais de 7.500 novos pacientes com a doença.

Ele destaca ainda que existe uma grande quantidade de pacientes com quadros em estágios avançados, que levam a tratamentos mutilantes e custosos, resultando em um prejuízo muito grande para a voz e até na necessidade de uma traqueostomia permanente.
“O tratamento precoce sempre traz benefícios para o paciente e sua voz. Por isso, caso apresente sintomas por mais de 15 dias, procure um especialista para estabelecer um diagnóstico correto e rápido, com grandes chances de recuperação plena da voz”, reitera.

Equipe altamente especializada

O Voice Center do Hospital Paulista dispõe de um corpo de médicos altamente especializados na saúde da voz e laringe, liderado pelo Dr. Domingos e que compartilha a mesma visão de seriedade, dedicação, respeito e ética na instituição.

A equipe, inclusive, acaba de receber o reforço do otorrinolaringologista Dr. Rui Imamura, presidente da Academia Brasileira de Laringologia e Voz, que chega para ampliar ainda mais o padrão de excelência do centro.

“Eu já frequentava o centro cirúrgico do hospital há muitos anos e pude acompanhar a sua impressionante evolução com o passar do tempo. Sem dúvidas, é um dos grandes hospitais especializados em Otorrinolaringologia do país, com destaque à oferta de atendimento superespecializado”, afirma o Dr. Imamura.

O médico ressalta que os problemas vocais, geralmente, não causam dor aguda ou provocam sintomas que despertem a atenção imediatamente. Porém, faz um alerta para alguns sinais (cansaço ao falar, perda da voz no meio de frases, falta de ar enquanto fala, dificuldades ao engolir, pigarros constantes, rouquidões e dores ou ardências na garganta) que podem indicar doenças mais graves, como câncer, papilomatose e paralisias laríngeas.

Estas doenças podem atingir praticamente todas as faixas etárias e são difíceis de distinguir de outras menos graves, só pela qualidade vocal. “Se você sofre de rouquidão, não menospreze o sintoma e procure um especialista o mais breve possível. O diagnóstico precoce permite um tratamento eficaz na grande maioria dos casos”, finaliza.

Semana da Voz – Rouquidão pode indicar um alerta

O Dia Mundial da Voz, celebrado em 16 de abril, tem o compromisso de chamar a atenção para a saúde da voz, um dos principais instrumentos de interação entre as pessoas. A data é importante para salientar a relevância da fala no nosso dia a dia, pois sabemos que a grande maioria das profissões depende da voz para ser exercida. Com isso, qualquer alteração, como a rouquidão, por exemplo, deve ser investigada, já que pode ser indício de que algo não está bem. Especialista do Hospital Paulista explica ainda como a maçã pode ser uma aliada para a voz.

“São vários os fatores que afetam a voz. Entre eles, estão os processos inflamatórios decorrentes de infecções das vias aéreas superiores, lesões fonotraumáticas (como nódulos e pólipos), alterações estruturais mínimas, que podem estar presentes desde o nascimento, alterações de origem neurológica, autoimune, ou mesmo sem causas aparentes”, destaca o Dr. Alexandre Enoki, otorrinolaringologista do Hospital Paulista.

Entretanto, o principal sintoma que sugere um problema nas cordas vocais é a rouquidão, que pode se manifestar desde uma alteração leve e intermitente, após um uso intenso da voz, até alterações importantes e contínuas.

O especialista alerta ainda que a rouquidão não seja vista, simplesmente, como algo normal ou mesmo charmoso.  “A rouquidão é um sinal que precisa ser investigado. Isso se deve ao fato de que, entre os vários diagnósticos a serem identificados, está até mesmo o câncer de laringe. Portanto, quando persistente por mais de duas semanas, é fundamental passar por uma avaliação médica”, alerta o especialista do Hospital Paulista.

Como manter a saúde da voz?

Cuidados gerais, como boa hidratação, alimentação equilibrada e qualidade de sono são importantes não somente para voz, mas para o organismo como um todo. “É importante ressaltar dois grandes vilões – o tabagismo, responsável pela grande maioria dos casos de câncer de laringe, e o uso abusivo da voz”, explica o médico.

Para os profissionais que utilizam a voz como instrumento de trabalho, como jornalistas, cantores, atores e professores, a atenção deve ser ainda maior. Nestes casos, os cuidados para preservar a voz são fundamentais para evitar alterações, que podem ser tratadas com fonoterapia ou até procedimentos cirúrgicos.