Posts

Como tratar os principais problemas da adenoide?

Popularmente conhecida como “carne esponjosa”, a adenoide é uma estrutura fisiológica, composta por tecido linfoide (tecidos de defesa), que se localiza atrás das cavidades nasais e acima do palato (céu da boca) – uma região chamada de nasofaringe. Por esse motivo, a adenoide é cientificamente denominada de tonsila nasofaríngea.

Apesar de ser um tecido de defesa e natural de qualquer indivíduo, seu crescimento exagerado pode causar uma séria de complicações que comprometem significativamente a qualidade de vida do paciente.

“A adenoide é uma estrutura de defesa imunológica, pequena ao nascimento, localizada no fundo do nariz, especificamente na região da nasofaringe. Ao contrário das amígdalas, não é possível ver a adenoide ao abrirmos a boca, pois esta fica acima do palato”, explica a otorrinolaringologista do Hospital Paulista Renata Garrafa.

Segundo a especialista, a adenoide cresce rapidamente durante a infância, com pico entre 3 e 6 anos e, então, começa a regredir gradativamente de tamanho até se tornar significativamente menor na adolescência. Quando este crescimento é exagerado, a adenoide pode preencher toda a nasofaringe, resultando em obstrução da passagem do ar respirado pelo nariz, má qualidade do sono e voz anasalada, além de facilitar a ocorrência de otites.

“Adenoide não é o nome de uma doença, mas sim de uma estrutura normal que todo ser humano possui durante a infância. Assim como as amígdalas e outros órgãos linfáticos, a adenoide reage a micro-organismos agressores e produz anticorpos”, destaca a Dra. Renata.

No entanto, de acordo com a otorrinolaringologista, quando seu crescimento é exagerado, causando prejuízos significativos na respiração e na fala, além de propiciar o surgimento de otites, seus malefícios no desenvolvimento da criança e em sua qualidade de vida superam seus benefícios imunológicos.

A médica ressalta que não há uma explicação única para o crescimento exagerado da adenoide, mas algumas hipóteses são infecções virais de repetição, rinite, fatores genéticos e biofilmes bacterianos (colonização crônica da nasofaringe por bactérias). Entre os sintomas mais comuns estão dificuldade respiratória, obstrução nasal, ronco e apneia do sono, além de quadros de otite, sinusite e rinite de difícil tratamento.

Diagnóstico  e Tratamento

“Para o diagnóstico da hipertrofia acentuada da adenoide, nos baseamos primeiramente nos sintomas do paciente”, relata a especialista.

A confirmação pode ser feita através de uma radiografia lateral da face (Raio-X de Cavum) ou pelo exame de vídeo endoscopia nasal (nasofibroscopia) – uma pequena câmera é introduzida pelo nariz, permitindo melhor visualização de toda nasofaringe, sendo, portanto, o melhor método.

O principal tratamento para hipertrofia acentuada da adenoide é a cirurgia, chamada adenoidectomia. Mas nem toda adenoide grande precisa ser removida.

“Ela, geralmente, é indicada nas crianças com obstrução nasal importante, que dificulte o sono e a alimentação, ou que provoque o surgimento de otite média serosa ou otite média aguda recorrente. Na inexistência de sintomas ou em casos brandos, a adenoide pode ser acompanhada clinicamente até sua involução após a puberdade”, complementa a Dra. Renata.

Em casos específicos, durante a cirurgia para a retirada das adenoides, outros procedimentos podem ser associados, como a remoção das amígdalas ou a colocação de tubos de ventilação nos ouvidos. Relativamente simples e curta, a adenoidectomia é feita pelo otorrinolaringologista, sob anestesia geral. Habitualmente, o paciente fica internado apenas por um dia.

Obstrução Nasal, dificuldade respiratória e infecções de garganta? Alerta! Pode ser adenoide

Popularmente conhecidas como “carne esponjosa”, as adenoides são duas pequenas glândulas compostas por tecido linfoide (tecidos de defesa) que estão localizadas atrás das cavidades nasais e acima do palato (céu da boca) – uma região chamada de nasofaringe.

 

Sua função primordial é a produção de anticorpos para atuar na defesa contra microorganismos, bactérias e vírus que invadem a cavidade nasal e oral. Sua formação se inicia no sétimo mês de vida do feto e por volta dos 8 a 10 anos tendem a regredir até que sejam eliminadas pelo organismo devido à perda de função de defesa para o indivíduo.

 

Problemas na região nasal

As próprias adenoidites são um processo inflamatório que afeta as cavidades nasais e o palato. Podem, ainda, evoluir para Hipertrofia das Adenoides (aumento das Adenoides).

 

Sintomas

Obstrução nasal que provoca alterações como respiração permanente pela boca (provocando alterações na anatomia da face e dentes), respiração ruidosa, apneia do sono, roncos, coriza persistente e nariz entupido.

 

Demais riscos

As adenoidites ou hipertrofias, além de prejudicar a respiração, podem obstruir o canal de comunicação entre o nariz e o ouvido médio, e gerar complicações como otites e perdas auditivas.

 

Tratamento das Adenoides

Adenoidectomia é o nome da cirurgia para remoção das adenoides, indicada geralmente para crianças com obstrução grave das vias respiratórias, dificuldades para dormir, otite média e/ou sinusite de repetição.

Para os quadros mais leves são realizados tratamentos com antibióticos e corticoides durante as crises, não havendo indicação para cirurgia.

 

Adenoidite pode ocorrer em adultos?

Sim, as adenoides tendem a desaparecer conforme o indivíduo avance para idade adulta, porém há casos onde não são eliminadas pelo organismo e também podem apresentar inflamações e diversos outros sinais, como os descritos acima. Fique atento, na dúvida procure um médico Otorrinolaringologista.